"Aproveite o curto dia da existência:

Viva. não economize o poder e a força de suas asas." (rumi)

Seguidores

domingo, novembro 4

:(

A Família

Quando era adolescente pensava em construir uma familia PERFEITA!
Para mim perfeita seria aquela familia sem brigas, sem reclamações, onde todos estivessem sempre de bom humor, muita alegria, sem preocupações.. enfim.. como disse, familia perfeita.
Cresci. E crescendo fui percebendo que as coisas não seriam assim.. que tinhamos que batalhar muito, que lutar muito pelo pão de cada dia, que tínhamos que enxugar as lágrimas que corriam mesmo sem a gente querer, que fracassos aconteceriam, que a dor era inevitável, que as pessoas nao pensavam da mesma forma, que os ideais era diferentes.
Namorei. E com o namoro me deparei com uma vida "pouco feliz"... chorei muito por amor nessa fase. Me fizeram sofrer demais... me puxaram o tapete várias vezes.. fui muito discriminada, deixada de lado, trocada pelas pessoas que eu amava.. mas meu pensamento em construir uma familia perfeita e feliz ainda fazia parte dos meus objetivos.
Então, no meio de um turbilhão de coisas boas e ruins, dificuldades financeiras e de saúde, conheci a pessoa que tornou-se meu marido, que é meu marido.
Passamos a conviver juntos, tivemos um filho, sete anos depois mais um filho, e em mais dois anos uma filha. Eles foram crescendo... crescendo... namoraram ... e por não, ou por terem uma familia feliz e perfeita como eu também almejava, namoraram, noivaram e casaram... eu até então, achava que eles tinham feito uma boa escolha...
Hoje vejo que aquela familia que até então eu pré-julgava feliz, eu pré-julgava unida, vejo que as noras estão fazendo de tudo para que aja desarmonia, para que nossos encontros comecem bem e acabem mal.
O almoço de hoje, uma festa que tinha tudo para terminar alegre e feliz, que as pessoas pudessem se despedir de forma alegre e descontraída, foram saindo um por um, dando um tchau coletivo, sem alegrias e com os semblantes de um "não volto" aqui.
Por isso, estou triste, deprimida, e sentindo que passei a vida querendo algo, fazendo algo e que dei oportunidade para que pessoas entrassem na nossa vida e que por qualquer motivo, trouxesse a desunião. Me senti frustrada como mãe, como pessoa, como avó, como mulher.